quinta-feira, 25 de junho de 2015

Menina

Ó menina do cabelo curto,

O teu rosto é em mim omnipresente

Capaz de me cegar de olhos abertos

E com eles fechados me iluminar.

Ó menina do cabelo curto,

Entre rabiscos e palavras tontas

Subordinadas a um coração em chamas,

Rogo por ter mais do que uma visão.

Ó menina do cabelo curto,

Canta comigo a canção do ridículo.

Sem comentários: