terça-feira, 7 de dezembro de 2010

DOMAÇÃO

Alguns tentam domar animais: revoltante. Outros tentam domar sociedades: necessário e ironicamente desvalorizado. Todos tentam domar as pessoas de quem são próximas: natural embora possivelmente evitável. Eu quero e tento alienar-me de tudo o resto para domar-me a mim mesmo: desgastante e laborioso, porém, louvável e enriquecedor. Mais do que um dever, um princípio; mais do que um princípio, um imperativo prazeroso.
Assim, se todos nós partissemos da última premissa tudo o resto pareceria claramente irrelevante e, por conseguinte, escusável.

07/12/2010

Sem comentários: