sábado, 30 de outubro de 2010

SOBRE SCHOPENHAUER

Foda-se Schopenhauer! Amo-te Schopenhauer!
Estas exclamações que têm indutivamente sentidos antagónicos, são porém também próximas. A revolta que o grosso da filosofia schopenhaueriana me provoca, faz-me por outro lado amá-la. Amo a diferença, o outro pólo que, na verdade, possibilita-me aproximar-me mais de mim mesmo; ajuda a conhecer-me, neste tão complexo processo.
Com Schopenhauer conheci Schopenhauer e conheci o que já pensava não ser; por conseguinte, com Schopenhauer encontrei algumas certezas que me faltavam e com isso conheci-me um pouco mais.

29/10/2010

Sem comentários: