terça-feira, 23 de setembro de 2008

Guerra do conhecimento

Pudera ser eu a luz do Sol que tudo ilumina e a luz escura da noite que tudo escurece.
Pudera conseguir atraír a mim todo o conhecimento - o certo e o errado - sem que para isso, comece lutas interiores destrutíveis.
Uma guerra com batalhas diversas, umas (poucas) ganhas outras perdidas, vai-me desgastando ao pouco e, contraditoriamente vai-me também, fazendo ter motivação para viver. Porque viver é conhecer, conhecer é viver. Respirar é o início da aprendizagem , viver é o desenvolvimento dessa aprendizagem e a vida como um todo é o conhecimento (quase) absoluto.
Respirar não custa: é inato ; viver é vento que nos leva para onde ele assim quiser, resta-nos forçar o caminho que achamos melhor, mesmo que seja em sentido inverso - poderá ser bastante doloroso; A vida é um sonho: algo a alcançar, mas demasiado inalcançável - o conhecimento absoluto não existe em nós, porque nem sequer temos a noção do que é abosulto, não há um limite.
Continuo com esse sonho, com essa guerra que me invade como um inimigo pronto a atirar e a ganhar. Eu respondo com tiros de saberes superficiais, com o desejo de mais.

Sem comentários: