domingo, 21 de outubro de 2007

6.14

No primeiro dia em que escrevo para este blog são exactamente 6h14m da manhã, vinte e dois de Outubro de 2007. Desdo logo, factuei algo : o tempo. Desde logo, a partir daí, desse facto, sou condicionado por memórias e pensamentos antecipados por percepções e sensações particulares. Assim o Ser Humano é conduzido, por filtros de recordações, experiências e emoções que nos precipitam em buracos de profundidade inalcançável, que nos fazem, durante essa queda, perceber que a razão não é mais do que uma simples pena a cair de um precipício. Ou seja, durante toda a vida nos iremos questionar sobre tudo que nem sequer sabemos que é tudo, e responderemos com um nada que não o conhecemos, pois não existe. O pior é que esse tumúltuo de questões sem resposta prolongar-se-á vagorasamente e, provavelmente, eternamente ( para quem acredita na eternidade).

"Vou dormir, dormir, dormir,
V0u dormir sem despertar,
Mas não dormir sem sentir
Que estou dormindo a sonhar."

Com Ricardo Reis me apresento e despeço deste primeiro dia de palavras racionalizadas em uma razão quebrável e frágil, visto que poderei estar apenas a sonhar.

Se assim for, está a ser um longo e fértil sonho que acabará quando perceber que jamais será possível despertar dele. E porquê ?! Porque a existência é, acima de tudo, questionável...

4 comentários:

dri disse...

começar a escrever sobre o tempo e a realidade...hum...sabes que te vou seguir!

Sergio disse...

Sempre com um dos heterónimos de Fernando Pessoa em Mente...é o Bruno Mar :)

Que rica hora para teres devaneios...sinceramente aconselhava-te a escrever algo para publicar um livro. É só uma ideia!

rudi disse...

O que não é questionável? Talvez o nada, "que não o conhecemos, pois não existe."

Anónimo disse...

outro lamexas, tantas lamexixes para quê?? Observo Que pessoal dos blogs dao lhes para os sentimentos... como se nao houvesse mais nada de importante... enfim...